sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Projeto irmãs Bronte 2ª parte

Olá caros viajantes!!!!!
A leitura fluiu bem, mas atrasei com a resenha.
Como sou da filosofia - 'Antes tarde do que nunca', vamos aos trabalhos!
Só para lembrar este Projeto foi idealizado pela Ale Dossena, uma escritora muito querida e fantástica! 
Recomendo a leitura da 1ª parte aqui !

Posso dizer que Charlotte Bronte arrasa com uma delicadeza os sentimentos mais profundos de cada personagem, vemos o jogo de interesse, mesquinharias, mentiras, o medo, a tolerância, amizades verdadeiras, perdão, segredos, exageros de comportamento, afinidades e o mais importante o Amor.
Seus personagens principais não são belos fisicamente, tem falhas, traumas particulares e além de tudo é de uma humanidade,  que a autora não teve medo de deixar claro para nós leitores. Jane Eyre foi crescendo na história, não de forma clara, mas de uma delicadeza e força que  nos cativa. E de uma autossuficiência que assusta, principalmente pela época, que a mulher é um nada.
filme de 2011


 "Eu ainda não sabia o que me aguardava. E meu coração continuava oprimido. Ainda me sentia como uma caminhante diante do imenso mundo. Mas tinha um pouco mais de firmeza e confiança em mim mesma, em meus dons, e era muito menor o temor que sentia face à opressão." 

Eyre soube tirar proveito dos sofrimentos, dedicou aos  estudos, teve força de vontade e com um olhar para o futuro. Não um futuro de qualquer donzela, mas de independência, dona do seu caminho.

Brontte trabalha em um determinado ponto do livro os conflitos de nossa heroína, assim também somos nós, nem sempre nossa vida é repleta de emoções ou grandes novidades. Sabe aquele tempo árido e de profundas reflexões! Não pense que foi difícil só para Jane Eyre, também foi para  o enigmático Mr. Rochester.
filme de 2011
"Jane, não sou um homem de temperamento calmo. Está se esquecendo disso: meu pavio é curto. Não sou uma pessoa fria, sou emocional. Tenha compaixão por mim ..."

Mr. Rochester deveria ser estudado, um homem tão grosseiro e terno, há momentos que tenho vontade de pedir para que se retire da minha frente e ao mesmo tempo gostaria de ouvi-lo, contar seus mais secretos pensamentos. Um homem confuso, perdido em sentimentos e ao mesmo tempo tão centrado e meticuloso no objeto de seu desejo. Sabe aquele homem que te beija com intensa paixão, te leva as nuvens e no mesmo instante  tem um olhar frio como mármore. Ele brinca com sua presa (Jane Eyre) assim como o leão com sua comida, até o momento certo de dar a mordida fatal.

Mas, não se iluda, não é um romance água com açúcar não! Quanta água rola naquele riacho ali do lado, de Thornfield Hall

filme 2011

 "Você é minha afinidade, meu melhor lado, meu anjo bom. Estou ligado a você por laços muito fortes. Acho-a boa, talentosa, adorável. Uma paixão fervorosa e solene surgiu em meu coração."

E quando Eyre se vê totalmente sem nada, até sem dignidade a vida lhe surpreende. Com novos amigos, mais desafios, novos questionamentos. No seu coração tem algo que não muda, o amor latente do ser amado.
filme 2011
 "Estar juntos para nós significa, ao mesmo tempo, ter toda a liberdade da solidão e toda a alegria da companhia. ... Confio inteiramente nele, e ele em mim. Nós nos encaixamos de maneira absoluta, e o resultado é uma harmonia perfeita." 

Um livro lindo, emocionante e de um final surpreendente! Recomendo!





Um comentário:

  1. Que delícia de postagem! Você descreveu tudo perfeitamente amiga. Suas impressões foram bem parecidas com as minhas. Obrigada por participar e vamos para a segunda leitura? Eu começo na próxima semana. Beijos!!!!!

    ResponderExcluir